sexta-feira, 26 de maio de 2017

Ir

Resultado de imagem para floating

"Não se agarre a nada.

Agarrar-se é a causa de sermos inconscientes.
Se você começar a se desprender, uma tremenda libertação de energia acontecerá dentro de você.
A energia que estava envolvida no apego às coisas trará um novo amanhecer ao seu ser, uma nova luz, uma nova compreensão, um tremendo descarregar – nenhuma possibilidade para a miséria, a agonia, a angustia.
Ao contrário, quando todas essas coisas desaparecem, você se encontra sereno, calmo e tranquilo, numa alegria subtil.
Haverá um riso no seu ser.
Se você se tornar desapegado, você será capaz de ver como as pessoas estão apegadas a coisas triviais, e quanto elas estão sofrendo por isso.
E você rirá de si mesmo, porque você também estava no mesmo barco antes.
O desapego é certamente a Essência do Caminho.”

Osho

domingo, 21 de maio de 2017

Criar possibilidades

Resultado de imagem para serra da estrela
''Criamos continuamente possibilidades em torno de nós, mas nos surpreendemos quando elas acontecem.
Vigie bem suas ideias e observe como elas criam sua vida. Se alguém pensa que é um fracasso, que não vai fazer nada na vida... Realmente, essa pessoa não irá fazer nada porque sua idéia está criando essa realidade!
Quanto mais ela achar que não,
Cria-se um círculo vicioso!
Quem pensa que vai ter sucesso, é bem-sucedido.


Experimente e você ficará admirado; algumas vezes, nem vai acreditar.

Se um homem pensa que jamais encontrará um amigo, ele não encontrará.
Ergueu em torno de si a muralha da China. Não está disponível e pronto! Ele precisa provar que sua ideia está certa e... Mesmo que alguém se aproxime com grande cordialidade, será rejeitado porque ele precisa provar sua ideia; está muito comprometido com ela!

E pouco a pouco todos se tornarão seus inimigos.
Por isso, observe bem o que pensa e o que deseja... Observe a sua mente.
Você está constantemente criando o que vai colher da sua vida... Quer chova ou faça sol.''

Osho

quarta-feira, 17 de maio de 2017

A Quinta sob o olhar de um fitoterapeuta



De vez em quando adoro ir a quinta dos meus tios em Bucelas.

Estar com os cães, as galinhas, patos, pintos, coelhos, porcos, etc, mas também a variedade vegetal que se encontra. Não só a zona é recheada de belas montanhas e grandiosos vales, mas também de cascatas e caminhos misteriosos.

Claro que existe imenso valor nas couves, nas beterrabas, milho, feijoca, tangerinas, maçãs, pêras, uvas e o resto dos alimentos que a Terra nos dá e que estão cheios de benefícios para a nossa saúde.

Mas existem outras coisas que ninguém repara ou vê e que um fitoterapeuta se delicia :

- as folhas de oliveira, muito boas para hipertensão, estimular defesas e até...pasmem-se ..inibir o cancro do pancreas.

- As folhas de dióspiro que ajudam a regular o metabolismo celular

- As folhas de macieira que ajudam a reduzir glicose e combater a Diabetes.

- A hortelã, muito boa para estômago e intestinos.

- A Convolvulus arvensis que inibe a angiogenese tumoral.

- A Serralha muito boa para estômago.

- A Fumária, optima depuradora e normalizadora da bílis.

- A Nogueira, que não só nos dá nozes, mas cujas folhas ajudam a desparasitar.

- A Laranjeira...com flores podemos combater insónias, com sementes e oleo essencial combater infecções...etc

-  O Dente de leão, excelente tónico para o figado e para o bom funcionamento hormonal.

Entre tantas outras plantas que a maioria das pessoas nem dá o devido valor.

É sempre uma agradável surpresa.

Quem defende a nossa Saúde?

''As barreiras que criaram para proteger os nossos filhos - o governo, os legisladores, as agências de regulação, a imprensa e os dispositivos de segurança do nosso sistema democrático que se supõe que se deveriam levantar entre o poder das Corporações e os nossos filhos - foram corrompidos e destruidos e só sobra uma barreira - os pais.''
Robert F.Kennedy




Acabamos de saber que várias corporações internacionais compraram Associações médicas para se calarem sobre efeito dos refrigerantes no aumento da Diabetes e da Obesidade e patologias decorrentes destas.
Como podemos confiar na Ordem dos médicos, na FDA?
Como podemos confiar em tantos médicos que recebem luvas de farmaceuticas?
Como podemos confiar em tratamentos cheios de toxicidade enquanto algo natural é descartado por não ter lucro?
É este um mundo que queremos viver?

Ainda há alguns dias o Bastonário da Ordem dos Médicos veio ao de cima, todo empolado, criticar a retirada do IVA das Medicinas complementares. Acusou-as de ineficácia (mesmo tendo milhares de estudos sobre fitoterapia, homeopatia e acupuntura) e de apresentar teorias velhas e bafientas sem qualquer uso (recomendava-o olhar para o Alzheimer que teorias cientificas e medicamentos não têm feito nada, pelo contrário, pioram a saúde dos doentes).

Ainda no outro dia um artigo escrito por um medico dizia - Temos com medicina ocidental taxas de cura do cancro infantil na ordem dos 90%.
Grande mentira. Entre 1999-2009 a taxa de sobrevivencia de crianças com cancro foi de 70-78%.
Se destas 10-25% tiver uma recidiva - podemos então dizer que a taxa de cura é inferior a 60%.

A Medicina convencional quando não sabe diagnosticar diz logo que é Virus.
No entanto sabe-se que a epidemia de poliomielite que tantos louvam ter sido erradicada devido a vacinas, sabe-se que coincide com pico de uso do quimico DDT. Aliás, um estudo feito no Ghana mostrou que mesmo em populações vacinadas havia recorrência da doença se estas pessoas estivessem em contacto com DDT.



























Por cada doente que morre devido a alguma terapia natural existem dezenas que morrem da toxicidade. Aspirina, Paracetamol, Antiinflamatorios, a lista é enorme, então se entrarmos na lista dos medicamentos usados em quimioterapia...nem falar.

Mas hoje em dia até existem uns quantos pseudomedicos que tentam mostrar que o que é Natural não é bom. 
Aliás a campanha do dia é - Produtos Naturais podem mesmo piorar a sua saúde! 

Nós sabemos da interacção entre medicamentos e fitoterapia. Quando tenho paciente a tomar aspirina, não lhe vou dar Ginkgo combinado com  Alho.
Mas provavelmente se tomar isto em vez da aspirina pode ter muitos menos efeitos secundários e com bom controlo podemos ter os mesmo resultados.

O Observatório de Interações Planta-Medicamento  lançou uma brochura em que põe na mesma cesta uma data de plantas que Reduzem ou complicam eficácia da Quimioterapia e cirurgia. Então porque não pegar nos milhares de estudos clinicos sobre plantas que REFORÇAM e têm Sinergia com tratamentos e apresentá-los tambem???

Quem lhes deu competência para falar de plantas e não apresentar antes Medicamentos que complicam ou reduzem eficácia da Quimio??

Mas voltemos ao assunto, serão as Ordens médicas assim tão isentas??

Vamos examinar quem Patrocina o Simpósio nacional de oncologia 2016 : Astellas, Bristol Myers-Squibb, MSD, Pfizer, Roche, OmPharma, Astrazeneca, Bayer, Lilly, Sanofi, Merck.....nem consigo contar todos....

Mas como eu acredito que só deve ser neste caso...vamos espreitar o Congresso de Obstetricia e Ginecologia. Ops.... Bayer, Angellini, Sanofi Pasteur, MSD, Roche, Sandoz,Aurovitas, Bial, etc etc

Imaginem que eu criei um produto incrivel. Que faço eu? 
Lanço no mercado, e as organizações deveriam fazer mais testes ao produto para que ele possa ser lançado e se comprove a sua eficácia. Mas elas lá e eu aqui, isenção, cientifismo.
Mas o que ocorre não é isto - eu lanço o produto, eu é que coordeno os estudos, eu é que patrocino os eventos de promoção, eu é que pago (em luvas) aos médicos para o receitarem.... ou seja tudo esta corrompido!

Como é possível que aquele que lança o medicamento seja o mesmo que promove e Legisla o mesmo???

Aliás o Brithish Medical Journal demonstrou em 2009 na sua investigação Clinical Evidence que dos 3000 medicamentos analisados apenas 11% são benéficos e com bons resultados, 24% podem ter alguns benefícios, 7% podem causar danos na saúde apesar de terem alguns benefícios, 8% são claramente ineficazes e 50% não se sabe nada deles.

Alias um grande estudo feito na Australia sobre a contribuição da quimioterapia para o tratamento de cancro em adultos demonstrou um ''belo beneficio'' de 2,3%....leram bem 2,3% de beneficio da quimioterapia. O artigo pode ser encontrado nos links abaixo.


Saiu em agosto uma outra noticia que dava conta que os medicos recebem cada vez mais dos laboratorios farmaceuticos. Quantos medicamentos inúteis andam a ser prescritos?

Tabela que demonstra valor de patrocínios da industria farmacêutica a médicos, ordens, sociedades médicas, associações de investigação clínica, etc.
E estes são os patrocínios declarados!!!!!

Se estou a ser comprado pelas farmacêuticas como posso passar Terapia isenta?
Se estou a ser comprado pelas farmacêuticas como posso passar Medicamentos naturais sabendo que são os outros que me oferecem dinheiro e prendas?

Vivemos numa sociedade corrupta e que quer nos corromper a acreditar que são a Única saída.

E o mais hipócrita da nossa sociedade é que se Uma pessoa é Curada por Terapias Naturais é visto pelo sistema médico como anedótico. Se a pessoa tem complicações é Algo extremamente grave e que todas terapias naturais devem cessar.

No entanto no sistema vigente as mortes e complicações devido a tratamentos alopáticos são vistos como algo normal e sem qualquer desprestigio do sistema.

Hipocrisia, enfim..



http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2016-10-11-Estudo-sugere-que-Coca-Cola-e-Pepsi-gastaram-milhoes-a-comprar-apoios-de-ONG-contra-medidas-de-saude-publica

http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/00039896.1967.10664822?journalCode=vzeh20

https://www.researchgate.net/file.PostFileLoader.html?
id=539e4272d11b8b78368b45c5&assetKey=AS%3A273544838090760%401442229580168

http://www.tsf.pt/sociedade/saude/interior/medicos-recebem-cada-vez-mais-dos-laboratorios-5319188.html

quinta-feira, 4 de maio de 2017

A arte de Käthe Kollwitz - a beleza na dor

Resultado de imagem para kathe kollwitz



Resultado de imagem para kathe kollwitz


Resultado de imagem para kathe kollwitz

Resultado de imagem para kathe kollwitz


Käthe Kollwitz - Poverty I:


After the end of the Great War, Germany experienced huge economic difficulties. Artist Kathe Kollwitz, a German native, saw the desperation and hopelessness prevalent in her fellow Germans. Woodcut, The Last Thing,:

Kathe Kollwitz-fantastic renderings and prints. One of my favorites.:


Käthe Kollwitz, "Run Over" (1910).:

Kathe Kollwitz:


Kathe Kollwitz video:



Kathe Kollwitz Pieta Bronze:


Kathe Kollwitz foi uma artista alemã do inicio do Século XX.
Durante a Primeira Guerra Mundial o seu filho mais novo, Peter querendo muito participar na guerra pediu a mãe que desse autorização, uma vez que era menor (16 anos).
A mãe permitiu e incentivou o pai a fazer o mesmo.
Menos de um mês depois, sabem em Berlim que o filho perdera a vida.
Esse evento despoletou ainda mais a veia nostalgica e triste da sua arte, misturando tristeza, revolta e muita culpa.
Grande parte da sua arte representa a sua dor, sendo a sua opus magnum a Sua Pietá com o filho nos braços, no fundo não Maria e Jesus, mas ela e o seu filho.


File:Het treurende ouderpaar - Käthe Kolwitz.JPG
Representados aqui Kathe e o marido, a culpa e a tristeza, num memorial as vitimas da Primeira Grande Guerra.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Responsabilidades?


"O que quer que aconteça é parte do processo de aprendizado. Então não há nada o que culpar, tudo é caminho. Tudo é Dharma."

Chögyam Trungpa Rinpoche


segunda-feira, 13 de março de 2017

As Aparições de Fátima - As Duas Fátimas

Provavelmente mais de 80% da população de Portugal conhece o que aconteceu em Fátima em 1917. E muitos desses saberão a história ''oficial'' sobre as mesmas aparições.

As Aparições de Fátima foi sempre algo que me apaixonou. Das diversas vezes que lá fui, sempre aquele ambiente me transmitiu uma grande paz e uma profunda sensação de mistério.

Apesar de terem ocorrido em 1917 só sabemos a História ''Oficial'' em 1941 pelas memórias de Lúcia, a única sobrevivente dos 3 pastorinhos que viram a Senhora.

A Versão oficial :

Brincavam os três pastorinhos na Cova da Iria, uma pequena propriedade pertencente aos pais de Lúcia,  quando por volta do meio-dia e depois de rezarem o terço, observaram dois clarões como se fossem relâmpagos.
 Com receio de começar a chover, reuniram o rebanho e decidiram ir-se embora, mas no caminho e logo abaixo, outro clarão teria iluminado o espaço. Nesse instante, teriam visto em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), "era uma Senhora vestida de branco e mais brilhante que o Sol, espargindo luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente", descreve Lúcia.
"A sua face, indescritivelmente bela não era nem triste, nem alegre, mas séria, com ar de suave censura. As mãos juntas, como a rezar, apoiadas no peito e voltadas para cima. Da mão direita pendia um rosário. As vestes pareciam feitas só de luz. A túnica era branca e branco o manto, orlado de ouro que cobria a cabeça da Virgem e lhe descia até aos pés. Não se Lhe viam os cabelos nem as orelhas." Os traços da fisionomia Lúcia nunca pôde descrevê-los, pois a sua formosura não cabe em palavras humanas.
 Os videntes estavam tão perto de Nossa Senhora - a um metro de distância, mais ou menos - que ficavam dentro da luz que A cercava, ou que Ela espargia.

Nossa Senhora: - Não tenhais medo. Eu não vos faço mal.
Lúcia: - Donde é Vossemecê?
 - Sou do Céu (e Nossa Senhora ergueu as mãos apontando o Céu)
 - E que é que Vossemecê me quer? - Vim para vos pedir que venhais aqui seis meses seguidos, no dia 13, a esta mesma hora. Depois vos direi quem sou e o que quero. Depois voltarei ainda aqui uma sétima vez.
 - E eu também vou para o Céu?
- Sim, vais.
 - E a Jacinta?
- Também.
- E o Francisco? - Também, mas tem que rezar muitos terços.
 - A Maria das Neves já está no Céu? (Lúcia referia-se a uma mulher que tinha morrido recentemente)
 - Sim, está.
- E a Amélia?
- Estará no Purgatório até ao fim do mundo.
 Quereis oferecer-vos a Deus para suportar todos os sofrimentos que Ele quiser enviar-vos, em acto de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores?
 - Sim, queremos.
 - Ides pois ter muito que sofrer, mas a graça de Deus será o vosso conforto.

 "Foi ao pronunciar estas últimas palavras que abriu pela primeira vez as mãos comunicando-nos uma luz muito intensa, como que reflexo que delas expedia, que nos penetrava no peito e no mais intimo da alma, fazendo-nos ver a nós mesmos em Deus, que era essa luz, mais claramente do que nos vemos no melhor dos espelhos. Então, por um impulso intimo também comunicado, caímos de joelhos e repetimos intimamente ó Santíssima Trindade, eu Vos adoro, meu Deus meu Deus eu Vos amo no Santíssimo Sacramento. Passados estes momentos, Nossa Senhora acrescentou: - Rezem o terço todos os dias para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra (na altura desenrolava-se a Primeira Guerra Mundial).
"Em seguida começou a elevar-se serenamente em direção ao nascente até desaparecer na imensidade da distância. A luz que A circundava ia como que abrindo um caminho no cerrado dos astros".


No entanto Jacinta logo a 13 de Maio tinha contado que tinha visto uma Senhora cheia de luz.
Em Junho de 1917 já haviam mais de 50 pessoas no local da aparição.

Durante a troca de palavras entre Lúcia e a aparição alguns ouviram um sussurro como se fosse o zumbido de uma abelha.

Em Julho dão se os 3 segredos - a visão do inferno,  a reparação ao Imaculado Coração de Maria e a visão do Terceiro segredo.

Em Agosto uma vez que governos na altura são anticlericalistas os 3 videntes são presos e não aparecem a 13 de Agosto na Cova da Iria. Mesmo sendo interrogados e ameaçados as 3 crianças nunca contrariaram o que tinham visto.

Lúcia: - Que é que Vossemecê me quer?
 Nossa Senhora: -Quero que continueis a ir à Cova da Iria no dia 13, que continueis a rezar o terço todos os dias. No último mês farei o milagre para que todos acreditem.
 - Que é que Vossemecê quer que se faça ao dinheiro que o povo deixa na Cova da Iria?
- Façam dois andores, um leva-o tu com a Jacinta e mais duas meninas; o outro que o leve o Francisco com mais três meninos. O dinheiro dos andores é para a festa de Nossa Senhora do Rosário e o que sobrar é para a ajuda de uma capela que hão-de mandar fazer.

Em Setembro repete-se o fenómeno.

Em Outubro de 1917 haviam mais de 50 000 pessoas. Chovia quase torrencialmente mas o tempo foi melhorando.

Lúcia: - Que é que Vossemecê me quer?
Nossa Senhora: – Quero dizer-te que façam aqui uma capela em Minha honra, que sou a Senhora do Rosário, que continuem sempre a rezar o terço todos os dias. A guerra vai acabar e os militares voltarão em breve para suas casas.

Desaparecida Nossa Senhora, na imensa distância do firmamento, vimos, ao lado do Sol, S. José com o Menino e Nossa Senhora vestida de branco, com um manto azul." Era a Sagrada Família. "S. José com o Menino pareciam abençoar o Mundo com uns gestos que faziam com a mão em forma de cruz. Pouco depois, desvanecida esta aparição, vi Nosso Senhor acabrunhado de dôr a caminho do Calvário e Nossa Senhora que me dava a ideia de ser Nossa Senhora das Dores." Lúcia via apenas a parte superior do corpo de Nosso Senhor e Nossa Senhora não tinha a espada no peito "Nosso Senhor parecia abençoar o Mundo da mesma forma que S. José. Desvaneceu-se esta aparição e pareceu-me ver ainda Nossa Senhora, em forma semelhante a Nossa Senhora do Carmo, com o Menino Jesus ao colo."
Enquanto os três pastorinhos eram agraciados com estas visões (apenas Lúcia viu os três quadros, Jacinta e Francisco viram somente o primeiro.

Entretanto as pessoas viram o Sol bailar.
Alguns fenomenos mais acontecerem:

As roupas enxugaram.
Haviam sons e luzes multicolores.
O sol parecia um disco oval prateado que se podia olhar sem qualquer problema.

Antes de 1917 Lúcia afirma ter visto junto com Francisco e Jacinta as 3 Aparições do Anjo, no entanto só revelou isso em 1941.

_________________________________________________________________________________

O que acabamos de ler sobre Fátima e que mais tarde se dá uma conotação religiosa é o que Lúcia escreve em 1941, no entanto em 1917 e até 1920 foi feito por vários investigadores entre eles ;

- padre de Fátima
- visconde de Montelo/ aka Padre Formigão
- o que videntes diziam na época aos vizinhos e familiares
- o que foi publicado nos jornais

Quando lemos TODO O MATERIAL DE 1917  percebemos que Muita coisa não encaixa na versão Oficial.

Primeiro as Aparições do Anjo.

Lúcia alega em 1941 que em 1915 e 1916 um Anjo lhes apareceu 3 vezes e lhes deu uma oração :

Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam. Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-vos profundamente e ofereço-vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.

No entanto em 1917 interrogada pelo Padre Formigão, Jacinta e Franscisco Nunca reportam qualquer anjo. E Lúcia ?

''O que viste há cerca de um ano? Tua mãe diz que tu e outras
crianças viram um vulto embrulhado, que não deixava ver o rosto. Porque
foi que me disseste o mês passado que não foi nada?
– !...
16ª – Dessa vez fugiste?
Cuido que fugi.''

Noutra ocasião:

''– O ano passado nunca me apareceu (nem antes de maio deste ano); nem eu disse isso a pessoa alguma, porque não era exato.''

Ou seja em 1917 ela afirma ter visto ( noutra entrevista estava com João Marto e não com Jacinta e Francisco) um vulto branco, como se fosse um homem embrulhado num toalhão, mas em 1941 o vulto já é o Anjo de Portugal e tem uma mudança completa de fisionomia.

Quando em Novembro de 1917 o Padre Formigão lhe pergunta sobre o que a Senhora disse, Lúcia já mete pés pelas mãos :

Perguntei-lhe o que me queria. Disse que não ofendessem mais a Deus Nosso Senhor, que já estava muito ofendido, que rezassem o terço a Nossa Senhora do Rosário que lhes perdoasse os pecados,
querendo ir para o Céu, e disse também que queria que fizessem ali uma capelinha à Senhora do Rosário ou que ela era a Senhora do Rosário.
Eu não sei se ela disse “à Senhora do Rosário” ou “eu sou a Senhora doRosário”.

Ou seja 1 mês depois das aparições ela já se confunde, NUNCA fala da aparição do anjo e da oração que 30 anos depois SABE palavra por palavra .

No entanto isso é apenas parte do que vamos falar.

Em 1917 nunca se menciona:
Rússia
Comunismo
Santo Padre
Jesus Cristo
2ª Guerra

Mas voltemos á descrição da Aparição da Senhora.

Na versão oficial que vemos em casa, na Igreja e em Fátima


Parece ter mais de 30 anos
Parece ser alta
Tem coroa
Tem coração ladeado por espinhos
Traz terço
Manto e vestido até aos pés











Mas em 1917 qual a descrição :

''viram uma mulher em cima duma carrasqueira, vestida
de branco, nos pés meias brancas, saia branca dourada, casaco branco,
manto branco, que trazia pela cabeça, o manto não era dourado e a saia
era toda dourada a atravessar, trazia um cordão de ouro''

''um manto branco que da cabeça chegava ao fundo da
saia, era dourado da cintura para baixo dos cordões a atravessar e de
alto a baixo e nas orlas era o ouro mais junto. A saia era branca toda e
dourada em cordões ao comprido e a atravessar, mas só chegava ao
joelho; casaco branco sem ser dourado, tendo nos punhos só dois ou
três cordões; não tinha sapatos, tinha meias brancas, sem serem douradas;
ao pescoço tinha um cordão de ouro com medalha aos bicos; tinha as
mãos erguidas; tinha nas orelhas uns botões muito pequeninos e muito
chegados às orelhas; separava as mãos quando falava; tinha os olhos
pretos; era de meia altura.''

''vinha vestida com meias brancas e fato todo dourado; não trazia sapatos; a
saia era branca e toda dourada e dava-lhe pelos joelhos; o dourado era
aos cordões a atravessar e nos cordões aos biquinhos; casaco branco
todo dourado; um manto pela cabeça era branco e todo dourado; as
mãos erguidas à cintura e abriam, separando-as quando falava à Lúcia;
não lhe ouviu dizer nada, ouviu falar (ora diz que sim, ora diz que não),
não ouviu dizer quantas vezes cá vinha; à saída abria-se o céu e ficavam
os pés entalados e o corpo já escondido''

A imagem conhecida hoje com Saia até aos pés só aparece nos COMENTÁRIOS DO PADRE FORMIGÃO... foi ele que ficou escandalizado da aparição ter Mini saia e foi acrescentando.


O comentário do Padre Formigão:
''Nossa Senhora não pode, evidentemente, aparecer senão o mais
decente e modestamente vestida. O vestido deveria descer até perto
dos pés. O contrário, posta de parte a hipótese de um engano das
crianças, aliás admissível, porque podiam não ter reparado bem, não ter
podido examinar perfeitamente o traje da aparição, tanto mais que não
possuem o dom da infalibilidade, o contrário, digo, constitui a dificuldade
mais grave a opôr à sobrenaturalidade da aparição e faz nascer no
espírito o receio de que se trata de uma mistificação, preparada pelo
espírito das trevas.


Ainda existem aspectos bem estranhos como a Senhora primeiro desaparecer a cabeça, depois os pés.
Além disso Francisco NUNCA ouviu a Senhora falar, foi sempre Jacinta e Lúcia.

''Ouvias o som da voz dela?
– Também não ouvia.
14ª – Parecia que não falava?
Parecia.
15ª – Não a vias mexer os beiços?
– Não via.''

''Desaparecia primeiro a cabeça, depois o corpo e os pés.''

''– Por que razão não raro baixas os olhos deixando de fitar a Senhora?
– É que ela às vezes cega.''

''– Houve mais algum sinal?
– Veem-se no céu, próximo do sol, umas nuvens brancas que se
tornam sucessivamente vermelhas vivas (cor de sangue), cor de rosa e
amarelas. O povo torna-se desta última cor. A luz do sol diminui bastante
de intensidade.
Sentiu-se também um rumor em julho e em agosto.''


''A uma delas, a que tinha o privilégio de ouvir e ver a santa, fizeram várias pessoas muitas perguntas, às quais respondia dizendo que via uma espécie de boneca muito bonita, que lhe falava.
Tinha, dizia, um resplendor em torno da cabeça e chamava-a para juntode si, numa voz muito fininha e melodiosa. (a respeito do que Lúcia dizia)

''– Que idade parece ter a Senhora?
– Parece ter uns quinze anos.''

A SENHORA QUE VÊEM OSCILA ENTRE 13-16 ANOS EM TODOS OS RELATOS....NA IGREJA VEMOS UMA IMAGEM DE UMA MULHER BEM MAIS VELHA CUJO TERMO MÃE É SEMPRE EVIDENCIADO... em Fátima Nunca falou de Filho nenhum.

''– A Senhora nunca te saudou com a cabeça ou com as mãos?
– Nunca.
 – Nunca se sorriu para ti?
– Também não.
– Costuma olhar para o povo?
– Nunca a vi olhar para ele''

''Ouviste também o segredo ou foi só a Lúcia que o ouviu?
– Eu também ouvi.
 – Quando o ouviste?
– Da segunda vez, no dia de Santo António.''


''Podes olhar bem para o rosto?
– Não posso, porque faz mal aos olhos.''

''Que tinha visto uma mulher pequena 4 vezes''









A Aparição pela descrição fidedigna dos pastorinhos










Outro factor que pesa contra Fátima são afirmações que não se cumprem ou em que Lúcia em 1941 diz que foi em Julho e Jacinta em 1917 dizia em Junho.

Ouves as conversas, rumores e gritos do povo, durante o tempo
que vês a Senhora?
Não ouço.

mais adiante na entrevista

Ouviste sempre bem o que a Senhora disse?
Da última vez não ouvi tudo por causa do barulho que o povo
fazia.


Primeiro paradoxo - como pode afirmar que não ouve o povo quando vê a Senhora e depois diz que não ouviu bem a Senhora por causa do barulho do povo ????!!!


''Lúcia, a que fala com a Virgem, anuncia, com ademanes
teatrais, ao colo de um homem, que a transporta de grupo em grupo,
que a guerra terminara e que os nossos soldados iam regressar...''

''a guerra acaba ainda hoje; esperem cá pelos seus militares, muito breve. Tudo isto disse a Lúcia que a Senhora havia dito em resposta à 1ª pergunta.'

''Da última vez - A Lúcia perguntou o que ela queria e Ela disse - Que
acabava a guerra no dia 13 - Quando chegasse ao Céu.
Que o povo se não quisesse emendar acabava o mundo; se não se
quisesse emendar acabava a guerra''

''Disse que o povo seria castigado se não se emendasse dos
seus pecados?
– Não me lembro se Ela o disse. Parece-me que não''

'' Disse: Venho aqui para te dizer que não ofendam mais a Nosso Senhor, que estava muito ofendido, que se o povo se emendasse acabava a guerra, se não se emendasse acabava o mundo. A Lúcia ouviu melhordo que eu o que a Senhora disse.
– Disse que a guerra acabava nesse dia ou que acabava
brevemente?
Nossa Senhora disse que quando chegasse ao Céu acabava a
guerra.
10ª – Mas a guerra ainda não acabou!...
– Acaba, acaba.
11ª – Mas então quando acaba?
Cuido que acaba no Domingo.''

A Senhora ENGANOU-SE COM A DATA DO FIM DA GUERRA?
Existem muitos ditos por não ditos... primeiro Lúcia dizia que era NESSE dia 13 de Outubro, depois quando a Senhora chegasse ao Céu, brevemente, ou mesmo no domingo.

Talvez o aspecto menos fiel de Fátima seja o aspecto do fim da guerra. Não cabe a ninguém que Nossa Senhora não saiba ou diga previsões vãs do fim da guerra :
- Olhem acaba hoje.
- Olhem acaba quando chegar ao céu.
- Se calhar no domingo acaba....

Talvez outro aspecto estranho é como a Senhora fala :

''Rezem o terço a Nossa Senhora do Rosário que abrande a guerra
que só ela é que lhe pode valer.”

A Senhora se é a Senhora do Rosário fala na 3ªpessoa.

''...havia devir S. José com o Menino Jesus dar a paz ao mundo e havia de vir
Nosso Senhor benzer o povo, vinha Nossa Senhora do Rosário com
um anjo de cada lado e Nossa Senhora com um arco de flores à roda.


Não existe qualquer ALUSÃO A RUSSIA, COMUNISMO, GRANDES SEGREDOS, APARIÇÕES DE ANJOS....  mas que algo ocorreu, algo que fazia jovens confundirem-se, algo que provavelmente Não é deste mundo mas do Céu cristão poderá não ser também....


domingo, 12 de março de 2017

O peso da Bicicleta


A minha bicicleta pesa 16kg.
No entanto se puser as mudanças mais pesadas sinto-a como se fosse de chumbo.

Achei interessante como algo que tem um peso uniforme de 16kg pode originar pesos subjectivos como 100kg que era o que sentia.
Reparei que é uma boa analogia para a vida.

Ocasionalmente sentimos-nos pesados.
O peso torna-se quase insuportavel.
Seria o momento de tomar 3 decisões - parar, mudar de rumo ou mudar as mudanças.

Se temos peso na nossa vida, existe uma parte dele que é culpa nossa.
às vezes teimamos em teimar mesmo sabendo no fundo que estamos errados.

às Vezes um destino está a chamar e queremos cala-lo.

Outras vezes o peso das nossas crenças é que nos levam ao cansaço.
Bastava aliviar a maneira que vivemos, mudar o rumo, deixar a bagagem e ir ao sabor do vento.

Porque é tão dificil ir ao sabor do vento?
Porque resistimos com medo da infelicidade sendo já infelizes?

Quando sentires a vida pesada lembra-te que há algo sempre a fazer para melhorar.
Podes não crer...
Podes negar....
Mas existe.... basta que o aceites e tenhas coragem

sábado, 21 de janeiro de 2017

Religiões são árvores que deixaram de saber dar fruto


''Todo o propósito da educação espiritual é produzir uma mudança no viver, naquilo que se faz e não como se faz.
Não é uma questão de concordar com alguma doutrina, dogma ou fórmula se há ou não alma, se ela transmigra após a morte ou não, se o mundo foi criado em uma determinada época ou não.
Como o Buda disse, "quer essas opiniões ou seus opostos sejam sustentados, mesmo assim há renascimento, há velhice, há morte e pesar, lamentação, sofrimento, dor e desespero... eu não expus essas opiniões porque elas não conduzem à extinção do anseio, à tranquilidade e ao nirvana".
A vida espiritual não é essencialmente uma questão de crença em algo, embora esta possa lhe ser relevante em certo estágio de desenvolvimento. É uma questão de viver, buscar, lutar, vencer etapas. É um esforço de se tornar naquilo que, em termos comuns, não se é: livre.
(...)
Nenhum louvor, por mais solene o modo pelo qual seja entoado, pode por si mesmo produzir compreensão e mudança. "Nem todo aquele que me diz "Senhor, Senhor" entrará no Reino dos Céus, mas sim aquele que pratica a vontade de meu Pai que está nos céus.
(...)
O grande santo e poeta Kabir diz:
Idades se passaram virando as contas,
Mas o virar do coração não ocorreu.
Ponha de lado as contas da mão,
E vire as contas do coração

Teólogos, filósofos, pregadores usam palavras, mas não "palavras de experiência"; na maioria dos casos, não têm autoridade, pois não "levantaram a cortina". Eles não possuem a sabedoria da outra margem; meramente correm para cima e para baixo nesta margem, gritando slogans e tentando converter uns aos outros, muitas vezes a fim de aumentar o sentido de sua própria importância e segurança.

Ravi Ravindra, in Sussurros da outra margem